Categorias
Noticias Uncategorized

BALANÇO DE 2020 – AULAS REMOTA, GRAVAÇÃO DE VÍDEOS E NOVOS PROJETOS

Os alunos antigos do Projeto estão realizando aulas de percepção/teoria musical e de instrumentos (canto, cavaquinho, flauta doce, percussão, violão e ukulelê), pelas plataformas digitais, desde que as aulas presenciais na Universidade Federal do RJ foram suspensas, com a decretação da pandemia de Covid, decretada em 2020.

Por meio de celular ou do computador, direto de suas casas, alunos com idade entre 07 e 80 anos se conectam para receber aulas de iniciação musical, aos sábados, utilizando o link da plataforma zoom.

Não houve obrigatoriedade de assistir às aulas online.  Os alunos que não quiseram ou não puderam participar, permanecem com vínculo ao Projeto, e retornarão quando a vacinação em massa tiver acontecido e as Universidades  retornarem.

A maestrina Alice Ramos Sena avalia que mesmo sem experiência ou formação prévia, os docentes e licenciandos do Projeto têm alcançado sucesso no novo formato. “Apesar de não conseguirmos efetuaras aulas de Prática de Conjunto e as apresentações ao vivo da Orquestok, onde todos tocamos juntos, os alunos têm avançado. Percebemos, também, que nossas aulas são um diferencial nesse tempo tão desafiador e por vezes muito triste”, afirma a professora

Novos Projetos

Em 2020, os alunos do Projeto Toque e Se Toque também gravaram três vídeos coletivos com as músicas Cajuína, América do Sul e Natal Brasileiro. Com qualidade surpreendente, essa experiência tem alcançado boa visibilidade nas mídias sociais e merece ser conferida no canal do Projeto no Youtube. Os vídeos já alcançaram mais de 4.300 mil visualizações.

A boa adesão dos alunos ao modo remoto fez a coordenação criar dois Projetos: “ “Toque da Classe” e “Toque de Mestre”, espaços de apresentação em vídeo para os alunos e os professores no canal do Youtube e nas redes do Projeto no Instagran e Facebook.

No Toques da Classe, alunos falam sobre a participação no Projeto e se apresentam cantando e tocando o instrumento que aprendem. Já em Toques do Mestre, é a vez dos atuais professores, e daqueles que já atuaram, compartilharem dicas e curiosidades da música, além de apresentação de uma bela canção. Os vídeos inéditos foram postados nas redes de comunicação do Projeto sempre aos domingos, reforçando o engajamento e a alegria do grupo em compartilhar boas experiências

A coordenadora Alice Ramos Sena diz que está satisfeita com os resultados alcançados no ano de 2020 e nos três primeiros meses deste 2021. “Estamos ansiosos para que a vida volte ao normal. Mas enquanto não é possível, vamos lançando mão das ferramentas disponíveis. O importante é não parar. A música , como toda forma de arte, é fundamental para suportarmos  o isolamento social e superar tantos momentos difíceis que o povo brasileiro vem passando”. E quem sabe, algumas dessas ferramentas virão para ficar? Só o tempo nos mostrará o que deve e o que não deve ser descartado. Os resultados, para algumas aulas, têm sido acima da expectativa. Vamos aguardar. No momento, é o que podemos fazer.  Só não podemos deixar de cantar, porque cada vez mais “é preciso cantar e alegrar a cidade!”, como diz a música ‘A marcha da quarta-feira de cinzas”, de Carlinhos Lira e Vinicius de Morais.

Rio, abril/2021

Categorias
Noticias Uncategorized

TOQUE E SE TOQUE INOVA NA SELEÇÃO DE ALUNOS

A continuidade da pandemia fez a coordenação do “Projeto Toque e se Toque..” inovar no processo de  seleção de novos alunos da turma de 2021.

No novo modelo de seleção, os interessados foram convidados a assistir a lives, onde a maestrina Alice Ramos Sena, após as apresentações, deixava pequenos exercícios para serem enviados para seu email, chave para que pudessem conseguir a vaga.

Assistir às lives e fazer os exercícios funcionaram  como uma confirmação de adesão do novo aluno ao método e garantiu a vaga no projeto. O uso de email, para envio de exercícios, corrigidos individualmente, e acesso a dívidas postadas no chat, eram a forma de comunicação entre  a maestrina e os interessados .As dificuldades apontadas por vários alunos eram tratadas nas lives de revisão .

As  lives eram abertas a todos, mas somente foram matriculados os que enviaram os referidos exercícios. “Todos os anos a gente recebe um grande número de alunos. Este ano, mesmo de atuando de forma remota, a procura também foi alta. Então, o critério que adotei foi aceitar a matrícula dos que deram feed-back, mostrando que tinham um espaço na rotina diária para o estudo da música e, assim, se tornar  aluno do Projeto.

Alice Ramos Sena avalia que a  inovação funcionou! Ela também  comemora  o novo alcance do Projeto que agora, sem fronteiras, tem alunos novos de diversas partes do Brasil, além de dois alunos da Alemanha e uma de Portugal.“A pandemia tem feito a gente se readaptar e viver também boas surpresas”, reflete a professora que antes nunca tinha dado aula remota.

 

MÓDULOS

O planejamento das lives foi montado para acontecer em dois módulos. Cada um contemplando três aulas, três aulas de exercícios e uma aula de revisão, totalizando seis aulas, seis aulas de exercícios e duas aulas de revisão.

O conteúdo para os postulantes foi a apresentação de vinte músicas do repertório, com a abordagem de noções básicas para quem quer ser musicista, como divisão de tempo, tempo forte e fraco, dentre outras informações.

Esses novos alunos começam, a partir deste mês de abril, a ter aulas também de instrumentos musical e canto, além de percepção musical.

Rio, abril/2021

Categorias
Uncategorized

BALANÇO POSITIVO DO “TOQUE E SE TOQUE” EM 2020

Apesar de todas as dificuldades impostas pela Pandemia, o Projeto Toque e se Toque conseguiu no ano de 2020 se adaptar às mudanças e manter de forma remota as aulas no período de junho a dezembro.

Para a coordenadora, Alice Sena Ramos, o saldo foi bem positivo. “Retomamos as aulas no final do mês de junho, não sendo obrigatório à adesão.  Mesmo assim, cerca de 120 alunos se inscreveram no formato. Foram 28 semanas de aulas de teoria musical,  aulas de  prática de conjunto e de instrumento musical e canto. Durante esse período, foram mantidos  02  cursos de canto, 02 cursos de cavaquinho, 01 de flauta infantil,  02 de flauta, 02 de percussão e 02 de violão”.

Ela ressaltou ainda a produção de três vídeos (Cajuína, América do Sul e Natal Brasileiro), com a participação da Orquestok e da Orquestra de Ukulelê da UFRJ. Também o lançamento dos Projetos “Toques do Mestre”,  e “Toques da Classe”, com a apresentação de professores e alunos respectivamente. Todas as ações, em sua avaliação, bem-sucedidas.

Outra medida adotada foi a criação de contas no “Instagran” e “youtube”, visando a dar mais visibilidade às ações realizadas pelo Projeto. No “youtube” foram mais de 600 inscrições que puderam assistir aos vídeos realizados por alunos e professores.

“Não foi fácil por conta da falta de recursos materiais de alunos e professores, mas fechamos o ano com a sensação de dever cumprido, tendo a certeza de que cada um fez o melhor possível. E a música foi um aliado importante na ajuda da superação do isolamento social”, diz Alice Sena Ramos.

Em 2021, as aulas de forma presencial retornarão de acordo com a determinação da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Assim, iniciaremos o novo ano ainda de forma remota, devendo voltar ao presencial apenas quando a vacinação estiver completa e seguindo sempre orientação da UFRJ.

Categorias
Uncategorized

TOQUE E SE TOQUE LANÇOU DOIS NOVOS PROJETOS COM ALUNOS E PROFESSORES

O Projeto Toque e se Toque lançou dois projetos no mês de agosto: “Toques de Mestre” e “Toques da Classe”, que visam a aproximar alunos, professores e público em geral, com a divulgação de vídeos curtos de cinco minutos nas mídias sociais, especialmente em tempos de isolamento social. A ação também tem a finalidade de aumentar a visibilidade do Projeto, e , com isso, o acesso a um maior número de pessoas interessadas em aprender música.

O “Toques dos Mestres” – abre espaço para  professores e ex-professores apresentarem um pouco de sua performace musical, sua relação com o instrumento,  sua história com o projeto. Também dar dicas/toques para o público que já toca algum instrumento ; tenha interesse em aprender, ou que simplesmente curta a boa música.

Já o “Toques da Classe” –  visa à apresentação de um aluno  ou ex-aluno, que conta sua experiência com a música e com o Projeto.  Além disso, faz  uma pequena mostra de seu aprendizado A finalidade principal  é aumentar a interação com outros colegas, que passarão a conhecê-lo melhor e servir de  inspiração para outras  pessoas que tenham vontade de aprender música. Também será uma forma de ajudar o aluno a se desinibir e mostrar sua evolução no Projeto.

O primeiro a se apresentar no Toques do Mestre foi o professor e coordenador, Vinicius Vivas, que deu dica interessante para quem quer tocar Ukulelê.  Já o primeiro aluno foi Anler Menezes, de 20 anos, que toca violão desde 2014, quando ingressou no Projeto. Hoje  toca profissionalmente e tem trabalho autoral.  As gêmeas Marina e Nina Haddad, que tocam flauta, e Nádia Dupret, percussão, também já participaram. https://youtube.com/toqueesetoque

MÍDIAS SOCIAIS

O Toque e se Toque vem aos poucos construindo seus canais de comunicação. Inicialmente foi Facebook, criado  há mais de seis anos , mas pouco utilizado. Em 2018, foi lançado este blog  onde são noticiados todas as campanhas, eventos, e ações.   Agora, temos  à  disposição páginas no  Youtube , Instagram e facebook.

https://youtube.com/toqueesetoque   https://instagram.com/toqueesetoque

https://facebook.com/toqueesetoque

“ Investimos na abertura das novas mídias sociais porque o Projeto tem memória e realizações que merecem ganhar alcance e inspirar o público que gosta de música e está diretamente relacionado”, ou não, ressalta Alice Sena Ramos, coordenadora do Projeto .

Além disso, temos a expectativa  de que aumente a  visibilidade do Toque e se Toque ,   ampliando  o acesso a um maior número de moradores do Rio. A participação e envolvimento dos alunos e professores é fundamental para o sucesso, finaliza a Coordenadora.

Rio, 23/11/2020

Categorias
Uncategorized

Novas práticas didáticas em tempos de pandemia

Alunos da turma de ukulelê participaram da terceira aula “on line” do Projeto Toque e se Toque.
Antes, tiveram aula de prática de conjunto e percepção musical, que reúne cerca de 140 alunos inscritos, que estudam enquanto não retornam às aulas presenciais.
Eles puderam decidir se queriam ou não retornar remotamente. Mas ninguém será prejudicado, de acordo com a coordenadora Alice Ramos Sena, considerando que os conteúdos serão retrabalhadas.
Essa é uma experiência pioneira do projeto de extensão da UFRJ
que experimenta novas práticas didáticas durante o isolamento social imposto pela pandemia do Covid-19. O projeto Toque e se Toque é 100% presencial!
Oferecer a experiência de aula remota é uma iniciativa dos professores do Colégio de Aplicação da UFRJ, em parceria com a Escola de Música. O projeto de extensão alcança a sociedade com aulas gratuitas e é a prática docente dos licenciandos da UFRJ, onde os estudantes da Escola de Música aprendem a dar aula.

Categorias
Uncategorized

Segunda aula remota já mostra resultado positivo

O Projeto Toque e Se Toque realizou no sábado, 13/06, sua segunda aula por meio remoto.

De acordo com Alice Ramos Sena, coordenadora, não é fácil a montagem e preparação do curso, por este meio, mas vem proporcionando resultados positivos.

A constatação veio ao se deparar pelo vídeo, postado espontaneamente, pela aluna Paola Oliveira Berli, em sua primeira aula e contato com o instrumento ukulelê.

A coordenadora contou a emoção ao se deparar com a imagem da aluna feliz, praticando os primeiros acordes.

“Acordei exausta após as aulas do dia anterior.  Ensinar remotamente é cansativo, não apenas por dar a aula de Prática de Conjunto, mas também acompanhar os conteúdos , acompanhar todos os cursos , e orientar  os professores. E prossegue:

“Fica aquela dúvida, que não ocorre na aula presencial. Será que saiu tudo certo? Todos conseguiram conexão? Será que os alunos conseguiram acompanhar? Estamos dando conteúdo demais? De menos? Como saber, remotamente? Como avaliar e estabelecer caminhos que atendam a todos sem estar “ombro a ombro”.

Alice contou que acredita estar no caminho certo:

“Acordei cansada. Pronta para fazer faxina em casa e abri o celular para ver as notícias do dia. E o que encontro? Um depoimento incrível, espontaneamente produzido por uma aluna quase-criança, comemorando a sua primeira aula de Ukulele. Isso me deu mais força e alegria para prosseguir junto com demais professores utilizando o ensino remoto, até que essa pandemia passe e tudo volte ao normal. “Agradeço a aluno Paola por me confirmar o sentido da música, que é tudo de bom. Fiquei tão feliz com seu vídeo, que até esqueci dos problemas, do cansaço e encarei a faxina que tinha que fazer como uma festa”.

 

Categorias
Uncategorized

Abertas inscrições para o Curso de Aperfeiçoamento de Professores de Música

Até o dia 20 de fevereiro, encontram-se abertas as inscrições para o Curso de Aperfeiçoamento “Toque e se Toque “ – CATS- direcionado a professores de música do ensino fundamental e médio  das escolas públicas municipal, estadual ou federal.

As inscrições para as 20 vagas disponíveis serão efetuadas no Centro da Música Carioca Arthur da Távola, rua Conde de Bonfim, 824,  de 10h às 17h , com Vanessa ou Rose.  Mais informações podem ser obtidas através dos telefones 3238 3831 ou 3238-8080

 

O curso é uma proposta de formação continuada, gratuito, e com duração de 2 anos (300 horas distribuídas em 04 semestres). As ações desenvolvidas serão realizadas aos sábados, das 9h às 14h, em horários sequencialmente organizados, no Centro da Música Carioca.

O critério de seleção será entrevista e sorteio, que será realizado no dia 29 de fevereiro de 2020, sábado, as 9h. As aulas têm início no dia  07 de março de 2020.

 

CATS

O Curso de Aperfeiçoamento“Toque e Se Toque”  – CATS – tem como objetivo compartilhar práticas de ensino e aprendizagem da música popular brasileira . usando a Canção Brasileira como recurso para conteúdos relacionados ao estudo sistemático da música. Serão utilizados os instrumentos: canto, cavaquinho, flauta doce, percussão, violão e ukulelê .

O Curso é uma realização do Colégio de Aplicação da UFRJ e da Universidade Federal do Rio de Janeiro, em parceria com a Secretaria Municipal de Cultura/Centro da Música Carioca Artur da Távola.

Os alunos do curso CATS acompanharão os participantes do Projeto “Toque… e se toque!” em 5 módulos simultâneos: (1) Prática de Conjunto, (2) Musicalização, (3) Prática de Instrumento, (4) Orientação e Acompanhamento, (5) Produção e execução de arranjos próprios e Estágio Supervisionado. O trabalho de conclusão de curso (TCC) poderá ter o formato de Memorial ou Relatos de Experiências e a produção de um arranjo simples para uso em sala de aula e o Certificado de Conclusão será conferido ao aluno que obtiver 80% de frequência e grau igual ou superior a 70%, emitidos pela UFRJ.

 

SERVIÇO

Curso de Aperfeiçoamento “Toque… e se toque”!    CATST 2019

Público-Alvo:  Professores de Música da Rede Pública de Ensino.

Práticas de Ensino em Música Popular Brasileira: canto, cavaquinho, flauta doce, percussão, violão e ukulele

Horário: Sábados, de 9h às 14h.      Duração: 2 anos.

Local: Centro da Música Carioca Artur da Távola

Endereço: rua Conde de Bonfim, 824. Telefones 3238 3831

Inscrições: 01 de fevereiro até o dia 20 de fevereiro de 2020, de 10h às 17h com Vanessa ou Rose.

Universidade Federal do Rio de Janeiro – Colégio de Aplicação da UFRJ – Centro da Música Carioca Artur da Távola

Categorias
Uncategorized

Orquestok em concerto!

A Orquestok fechou o ano de 2019 com duas apresentações , realizados no teatro do Centro da Música Carioca, na Tijuca, ambos com renda destinada à campanha de financiamento do Projeto Toque e se Toque.

O repertório composto de  clássicos e novas composições da MPB foi executado por instrumentistas e cantores de todas as idades que participam do projeto em 2019, , sob à regência da maestrina, Maria Alice Ramos Sena.

Concerto do Dia 08

A Orquestra de Ukulelê, da UFRJ, com direção musical do professor Vinícius Vivas, abriu o evento, interpretando sambas, choros e o famoso maxixe “Corta Jaca”, de Chiquinha Gonzaga e Machado Careca, composto em 1895. Essa composição fez grande sucesso, à época, e guarda uma polêmica que foi contada à plateia. A Orquestra de Ukulelê da UFRJ é “cria” do Projeto Toque e Se Toque.

As crianças flautistas do projeto deram um show à parte, sob a regência do professor Ricardo de Almeida Gonçalves.  Outra participação ficou por conta da turma de canto coral do Toque e se Toque .  Regida pelo professor maestro Rafael Costa, executou composições de Lulu Santos (De repente Califórnia), Gilberto Gil (Estrela) e Milton Nascimento (Encontros e Despedidas).

A apresentação do conjunto completo (ORQUESTOK) fechou o concerto,  com músicos de violão, cavaquinho, flauta, percussão e canto executou composições de Villa Lobos (Trenzinho Caipira), Caetano Veloso (Cajuína), Sérgio Sampaio (Eu quero botar meu bloco na rua), Geraldo Vandré (Disparada), Jorge Drexler (Idade do Céu), Roberta Campos (Minha Felicidade), de Silva (A visita), Gonzaguinha (Comportamento Geral), Ary Machado e Pedro de Sá (Chuá, Chuá), entre outras.O encerramento com o breve repertório natalino encantou o público. Um espetáculo emocionante!

CONCERTO DO DIA 21

O concerto do dia 21 encerrou o calendário de atividades do Projeto Toque e se Toque no ano de 2019.  O evento  teve a  participação especialíssima  do Coral Orquestra dos alunos do colegio Pedro II, regidos pelo maestro Rodrigo Russano, que realiza um trabalho de muita qualidade, aliando técnicas e sensibilidade  .

Além do Pedro II, participaram , ainda,  o Coral Tijucanto,  as crianças  e o grupo de canto coral do Projeto Toque e se Toque, que se apresentaram antes da Orquestok, que reúne todos os alunos .

Alice Ramos Sena, coordenadora e maestrina do Toque e se Toque, aproveitou a oportunidade para agradecer os licenciandos e professores do Projeto, bem como a  equipe do Centro da Música Carioca, destacando o administrador Rubens Corin.

Na ocasião, ela ressaltou os objetivos do Projeto e a sua importância .”Somos um projeto de extensão da Universidade Federal do RJ, e temos como objetivo um ensino de qualidade e propiciar aos licenciandos, futuros professores de música de nossa cidade, uma experiência consistente de educação musical”.

Categorias
Uncategorized

ORQUESTOK SE APRESENTOU NA SANTA ÚRSULA

A Orquestok se apresentou no dia 21 de novembro , como parte das comemorações dos 80 anos de aniversário da Universidade  Úrsula, em Botafogo,  que oferece cursos de graduação e pós-graduação.

No mês de dezembro, a orquestra tem programado mais dois concertos. O primeiro , no dia 08, será beneficente, com a bilheteria sendo destinada à Campanha de Financiamento do Projeto , iniciada em outubro de 2018.

AGENDA DA ORQUESTOK NESTE FINAL DE ANO

Data: 08 de dezembro

Concerto beneficente  da Orquestok – participação especial da Orquestra de Ukulelê

Horário:  11:00h

Local: Teatro do Centro da Música Carioca

Rua Conde de Bonfim, 824

Ingressos: R$ 30,00  e R$ 15,00 – meia entrada

Data: 21 de dezembro

Concerto de Encerramento do ano de 2019

Horário:  20:00h

Local: Teatro do Centro da Música Carioca

Rua Conde de Bonfim, 824

Entrada: Gratuita

Categorias
Uncategorized

CONCERTO DA ORQUESTOK PARA CAMPANHA DE FINANCIAMENTO

Data: 8 de dezembro – 11h

Participação especial da Orquestra de Ukulelê

Local: Teatro do Centro da Música Carioca

Rua Conde de Bonfim, 824

Ingressos : R$ 30,00  e R$ 15,00 – meia entrada

Esperamos Você.  BORA!